CINEMA E PSIQUISMO



Quais são os filmes que mais apreciei? Quais as emoções predominantes? O que aprendi?


O cinema, conhecido pela 7ª Arte, reúne diferentes linguagens e características próprias e únicas e é considerado uma arte fundamental para o processo humano de construção de significados.


Segundo Morin (1980) o filme foi construído em analogia com o nosso psiquismo total e “não é por mero acaso que as linguagens da psicologia e a do cinema tantas vezes coincidem em termos como os de projeção, representação, campo e imagem” (p.187).


Para este autor “o cinema torna não só compreensível o teatro, poesia e música, como também o teatro interior do espírito: sonhos, imaginação, representações: o tal minúsculo cinema que existe na nossa cabeça” (p.187).


Lampropoulos e Spengler (2005) referem que se pode ter uma intensa experiência emocional e sentimento de empoderamento após ver um filme com muita qualidade. As pessoas, ao identificarem-se com as características de um filme, com personagens que passam por dificuldades idênticas, encontram suporte e aceitação para a sua condição, estando isto depende dos seus estados emocionais. O filme poderá ter um efeito catártico, aumentar a sua compreensão do problema, dar informação, encontrar soluções de um modo vicariante e preparar para a ação.


A ativação de processos psicológicos diferenciados variam de acordo com as características da obra cinematográfica, os sujeitos e a qualidade da relação estabelecida o que, por sua vez, propicia modos de apreciação e experiências artística/estética distintas.


Qual será o filme escolhido para este fim de semana? Bom fim de semana!

#cinema #minusculocinemaqueexistenanossacabeça #morin #psicologia #emoções

Lampropoulos, G. K., & Spengler, P. M. (2005). Helping and change without traditional therapy: Commonalities and opportunities. Counseling Psychology Quarterly, 18(1), 47-59.

Morin, E. (1980). O Cinema ou o Homem Imaginário (2ª Ed.). Lisboa: Moraes Editores.


3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo